terça-feira, 23 de março de 2010

Oh happy day...!: em detalhe


Apetece-me mostrar-vos este casamento, em detalhe no site da D. Martha.
A razão é simples: como fazer uma festa acolhedora, pessoal e despretensiosa, sem nunca perder o estilo e total beleza (sim, é bater na mesma tecla novamente, mas totalmente justificado!)
Começando pelos convites e outros materiais escritos, inspirados no packaging do Jamie Oliver - cartões de escolta (nome elaborado para os cartões que indicam o lugar dos convidados) e ementa escrita a giz num quadro preto. É preciso mais?
Também me parece que não :)
Seguindo...

Esta simplicidade aparente funciona porque é coerente e sofisticada, é trabalhada e não acidental. Para o "menos" ser "mais", é preciso que haja um trabalho de edição, selecção e escolha cuidada do que se usa e como, senão, corre o risco de ser mesmo "menos" ou simplório em vez de simples.
O fundamental é criar um fio condutor que una todos os detalhes: a letra usada e a abordagem descontraída que se reflecte nos individuais em papel kraft, nas garrafas que servem de marcador de mesa, nas tartes caseiras (em vez de um sofisticado bolo de 3 andares), as folhas de oliveira e as flores aparentemente desarrumadas, os retoques com os fios de lã, espalhados em vários pormenores, como o maravilhoso coração que serve de ponto focal no local da cerimónia.

As flores são fantásticas e daqui se conclui que há pormenores em que se deve apostar quando outros detalhes são mais neutros e com menos "personalidade", como o fato do noivo, discreto mas super cool.

Que tal?

3 comentários:

Pinga Amor disse...

Apesar das cores não serem as minhas preferidas é esta simplicidade e os detalhes criativos que eu quero um dia no meu casamento.

Para quê tanto "floriado"???? É nas pequeninas coisas que está a diferença.

Adorei Susana, e ainda bem que "bates" na mesma tecla!

Susana disse...

QUALQUER DIAS AS PESSOAS FARTAM-SE... OU NÃO ;)

elisa arnaud disse...

Acho que não corres esse risco! Porque apesar de "bateres" sempre na mesma tecla, todos os resultados que mostras estão cheios de personalidade e são fascinantes... contam-se verdadeiras histórias nestas fotografias, o texto até poderia estar em chinês que as imagens valem por si mesmas... e vê-se que existem pessoas reais por trás disto, não são festas pré-formatadas... será bom que isto começe a fazer sentido para as pessoas.